Últimos
Capa » Notícias » Política » Municipal » Prefeito Airton cobra liberação de recurso da obra de galerias pluviais no Ministério Das Cidades
Prefeito Airton cobra liberação de recurso da obra de galerias pluviais no Ministério Das Cidades
Prefeito AIRTON NO MINISTÉRIO DAS CIDADES.

Prefeito Airton cobra liberação de recurso da obra de galerias pluviais no Ministério Das Cidades

O prefeito do município de Cerejeiras Airton Gomes (PP), reuniu-se na tarde de quarta-feira (10/12), juntamente com o senador Ivo Cassol (PP), com o ministro das Cidades, Gilberto Occhi, técnicos do ministério, para cobrar os repasses devidos pelo ministério ao município de Cerejeiras, que foram programados mas ainda não liberados para que a prefeitura de sequência à obra iniciada.
No caso de Cerejeiras, de um total de R$ 987.600,00 para obras de galerias pluviais e asfaltamento urbano, o ministério deve repassar nos próximos dias, se houver autorização do tesouro, R$ 462.365,00 referentes a 47% da obra já executada para que a prefeitura pague pelos serviços que já foram executados. “Estamos numa situação muito complicada, foi retirado o asfalto e as galerias construídas mas a obra está parada porque a empreiteira que venceu a licitação não recebeu e a população é quem está sofrendo com o barro e a poeira. Agora com a chuvas vai ficar pior do que estava”, explicou o prefeito Airton ao ministro.
O senador Ivo Cassol argumentou que Cerejeiras tem a receber R$ 987.600,00 referente às obras de galerias pluviais e asfaltamento urbano. “Os técnicos da Caixa já fizeram visitas e certificaram que está tudo certo, mas o dinheiro não foi depositado. Desse jeito não tem empresa que aguenta e a população paga o pato”, cobrou Cassol.
A equipe de técnicos do ministério explicou que o que cabia à prefeitura e ao ministério das Cidades foi feito, restando apenas aguardar que o ministério da Fazenda libere os recursos para que sejam repassados ao município, o que deve acontecer nos próximos dias, segundo o ministro Occhi, graças a aprovação da mudança do cálculo do superávit aprovado na semana passada pelo Congresso.

Fonte: WILMER G. BORGES/ASSESSORIA.