Últimos
Capa » Notícias » Nacional » Apuração mostra vitória ampla do ‘Não’ no referendo grego
Apuração mostra vitória ampla do ‘Não’ no referendo grego
Milhares de gregos reuniram-se em frente à sede do Parlamento, em Atenas, para comemorar a vitória do ‘Não’

Apuração mostra vitória ampla do ‘Não’ no referendo grego

Resultados oficiais do referendo grego, divulgados no início da noite (horário de Brasília), com mais de 50% dos boletins apurados, o “Não” vencia por uma larga margem, de 61,26%, contra o “Sim”, em 38,74 % dos votos válidos. Uma vez confirmada a vitória do “Não”, nas próximas horas, a equipe do governo de Tsipras voaria ainda neste domingo para Bruxelas. Últimos dados apontam para um comparecimento às urnas de mais de 65% dos eleitores gregos.

Nesta segunda-feira à noite, o presidente francês, François Hollande e a chanceler alemã, Angela Merkel, encontram-se em Paris para discutir resultado do referendo grego. Fonte do governo grego, citada pela agência inglesa de notícias Reuters, diz que o Banco da Grécia vai pedir ao BCE que aumente o teto máximo da liquidez de emergência para os bancos gregos. Mas na semana passada, várias notícias deram conta que o BCE recusou, no fim de semana passado, um aumento de 6 mil milhões de euros na liquidez de emergência, o que provocou o controle de capitais instaurados no país.

A Comissão Europeia somente comentará o resultado do referendo grego na terça-feira. O primeiro-ministro português, que está de visita a Cabo Verde, disse que vai aguardar pelos resultados finais do referendo grego. Pedro Passos Coelho sublinhou ainda que, quaisquer que sejam os resultados, há países europeus que “emprestaram muito dinheiro” e que a questão não pode ser esquecida. O chefe do governo português disse “que esses países que emprestaram muito dinheiro à Grécia fizeram-no numa expressão de solidariedade europeia”.

Entretanto, a moeda única abriu na sessão nas praças asiáticas em queda de 1% para US$ 1,1007. Esta será uma reação aos primeiros resultados do referendo grego e à garantia por parte do Banco Central Europeu (BCE) de que podem ser lançados mais estímulos monetários para assegurar a estabilidade financeira na zona euro.

Por Redação, com agências internacionais – de Atenas