Últimos
Capa » Notícias » Política » Estadual » Corpo de Bombeiros de Rondônia comemora 17 anos com diversos serviços prestados à população
Corpo de Bombeiros de Rondônia comemora 17 anos com diversos serviços prestados à população
Corpo de beiros de Rondônia estão aptos a trabalhar no solo, águas e no ar para salvar vidas nas mais complicadas situações.

Corpo de Bombeiros de Rondônia comemora 17 anos com diversos serviços prestados à população

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Rondônia (CBM-RO) inteirou 17 anos no início de julho, com diversificada folha de serviços prestados à população. Sua atuação já extrapolou os limites urbanos para incorporar socorros aquáticos e aéreos.
Ao analisar o histórico da corporação, o comandante, coronel Sílvio Rodrigues, anunciou a primeira chamada de 86 novos bombeiros para servir no interior do estado. “Assim poderemos melhorar as escalas”, previu.
Rodrigues é também o representante dos comandantes da região norte brasileira na Liga Nacional dos Corpos de Bombeiros. A exemplo do seu antecessor, coronel Lioberto Caetano, ele colocou a Amazônia Ocidental Brasileira em pauta nas reuniões da entidade.
Folheando os arquivos, o coronel Rodrigues encontra datas históricas: 2 de julho marca a desvinculação do CBM-RO da Polícia Militar e 26 de outubro, o início das atividades efetivas da corporação. O dístico mudou: antes era “Vida alheias e riquezas a salvar”, atualmente é “17 anos salvando vidas”.
Desde o começo, o leque de atividades ampliou-se. Dele faz parte, por exemplo, o Grupo de Operações Aéreas (GOA), que completará três anos computando 1.220 horas de voo, durante as quais transportou mais de mil pessoas em tratamento de saúde fora do domicílio, principalmente para Barretos (SP), Fortaleza, Rio Branco (AC), Goiânia, Rio de Janeiro e São Luís. Sua tripulação já fez até partos nas alturas.
Duas  aeronaves, da frota de três, foram confiscadas do narcotráfico pela Justiça Federal em São Paulo; a terceira foi entregue ao GOA pelo juiz da Vara de Delitos de Tóxicos Glodner Pauletto, em Porto Velho.
Em 2014, nas enchentes do rio Madeira e outros rios do estado, as aeronaves chegaram a fazer de três a quatro voos diários, em média, para socorrer flagelados. A atuação do GOA despertou o interesse de autoridades governamentais de outros estados e do Distrito Federal.
Em Porto Velho, o CBM-RO retomará o atendimento do desencarcerador [aparelho que permite a retirada de vítimas em ferragens de automóveis ou qualquer outro ambiente] com moto, nos horários de pico.
Bombeiros e Defesa Civil trabalharam seis meses no atendimento aos decretos de emergência no estado, especialmente para a região do Baixo Madeira, cujas famílias flageladas até agora não retomaram a normalidade em seu dia a dia.

LEIS E SALÁRIOS

O comandante destaca os principais avanços: a edição das leis números 853 [dispõe sobre a taxa de fiscalização e utilização efetiva ou potencial de serviços do CBM-RO, ou posto à disposição do contribuinte] e 858 [dispõe sobre normas de segurança contra incêndio e evacuação de pessoas e dos seus bens] e a criação do Fundo Especial [Funesbom] pelo Decreto nº 4983, de 16 de maio de 2002.
Em consequência das enchentes e enxurradas de 2015, o Ministério da Integração liberou R$ 22 milhões para a reconstrução de áreas urbanas, notadamente bueiros, bocas de lobo, pontes e pequenos prédios públicos, entre os quais, delegacias de polícia.
Ao mesmo tempo, a solidariedade rondoniense alcançou o vizinho Estado do Acre, para onde foram transportadas 47 toneladas de produtos da Companhia Brasileira de Alimentos (Cobal), em sete viagens de caminhão.
Com a concessão de uso autorizada, o CBM-RO reformará o barco-hospital da Prefeitura de Porto Velho e transformará um caminhão Volvo 340 em autobomba-tanque. Esse veículo foi apreendido de traficantes de drogas e o seu uso autorizado pelo juiz da Vara de Delito de Tóxicos.
Uma frustração do comandante: “O desinteresse de diversos municípios em constituir suas comissões de defesa civil, para as quais o voluntariado também conta indispensável participação”.  “É um risco, basta lembrar do que ocorreu no ano passado: Buritis, Cujubim e Nova Brasilândia do Oeste tiveram calamidade pública decretada, enquanto outros municípios viveram situações de emergência, exigindo o apoio de pessoas”.
Nas reformulações buscadas a cada ano pela segurança pública rondoniense, os bombeiros também oferecem a sua contribuição à cidadania. Conforme explica o coronel Rodrigues, numa única plataforma na web a corporação integrou-se ao novo modelo de registro de ocorrências utilizado pelas polícias civil, militar e CBM-RO. Isso significa mais viaturas nas ruas de forma operacional, sem investimento em pessoal.
Bombeiros estão em treinamento constante, inclusive fora do estado
A partir de agosto, mais 80 bombeiros atuarão em municípios do interior do estado

COMPETIÇÕES

corpodebombeiro1
O CBM-RO promove anualmente a Bike Trilha, em Guajará-Mirim – fronteira brasileira com a Bolívia. O evento mobilizou cerca de 6 mil pessoas em sua 13ª edição, e arrecadou 11 toneladas de alimentos, totalmente distribuídos entre famílias carentes.
A aventura começou com apenas 43 pessoas, familiares de bombeiros e amigos deles. Este ano, cerca de 5 mil camisetas que seriam entregues às 6h no dia da prova, começaram a ser disputadas às 2h da madrugada.
Em Porto Velho, a Corrida do Fogo teve 674 inscritos no final da semana passada. Considerada o maior evento do estado, ela foi prestigiada este ano pelo ex-maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima [de Maringá-PR].  Seu percurso de 10 quilômetros começa e termina em frente ao quartel, da rua Campo Sales ao aeroporto. Cadeirantes participam da caminhada de 5 Km.

Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Diego Queiroz e Esio Mendes
Decom – Governo de Rondônia