Últimos
Capa » Notícias » Policial » Acidentes » Incêndio na fronteira do AM com RR devastou o equivalente a 1,3 mil campos de futebol
Incêndio na fronteira do AM com RR devastou o equivalente a 1,3 mil campos de futebol
As causas estão sendo investigadas, mas suspeita-se que o incêndio tenha sido provocado por pessoas de comunidades vizinhas, que estavam no local realizando caça (Divulgação).

Incêndio na fronteira do AM com RR devastou o equivalente a 1,3 mil campos de futebol

Apesar da estimativa do rastro do prejuízo ambiental, a extensão exata do dano ambiental só será divulgada, após o levantamento da área geográfica. As causas estão sendo investigadas
Um incêndio de grandes proporções numa Área de Preservação Permanente (APP), a margem do rio Jauaperi, no município de Novo Airão, a 115 quilômetros de Manaus, fronteira do Amazonas com Roraima, devastou o equivalente a 1,3 mil campos de futebol. Mesmo com o sinistro que durou duas semanas e foi controlado há dois dias, alguns focos de incêndio na região, ainda persistem.
Apesar da estimativa do rastro do prejuízo ambiental, a extensão exata do dano ambiental só será divulgada, após o levantamento da área geográfica. As causas estão sendo investigadas, mas suspeita-se que o incêndio tenha sido provocado por pessoas de comunidades vizinhas, que estavam no local realizando caça.
“Eles fizeram fogueira e depois deixaram queimando. O fogo se alastrou pela floresta e ganhou proporção alcançando novos pontos”, segundo o levantamento feito pelo tenente do Corpo de Bombeiros, Márcio Lima, comandante da operação e do capitão da corporação J. Wilson, especialista em Incêndio Florestal, que retornaram ontem do local. Informaram, ainda, que a vista aérea   aponta diversos focos, com bastante fumaça. “Os focos mais intensos estão a alguns quilômetros da comunidade de Xixuau, em Roraima, base da operação, mas existem focos próximos,  a dois quilômetros do local”.
A equipe dos Bombeiros informou que mesmo com o uso de abafadores, o fogo não cessa, sendo necessário borrifar água no local com o uso de bombas costais. “O trabalho ainda vai se arrastar por alguns dias, pois como existem diversos focos, a equipe precisará enfrentar um a um”.

Recorde no Amazonas

De acordo com informações baseadas no monitoramento realizado pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), até a última sexta-feira (29), foram registrados 362 focos de calor, considerado um recorde para o mês de janeiro, desde que foram iniciadas as estatísticas em 1998.
O recorde anterior foi em 2010, com 82 focos em todo mês. Em relação, as ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros, até o momento o Corpo de Bombeiros atuou em cerca de 35 ocorrências de incêndio em vegetação (entre pequenos e grandes focos, na capital e interior), número acima das 7 ocorrências registradas em janeiro de 2015.

Situação relatada pelos ribeirinhos

O Corpo de Bombeiros informou que a moradora relatou que os ribeirinhos da   região iniciaram o combate ao incêndio por conta própria, mas não conseguiram conter as chamas por ser de grande proporção se propagava há dias. As coordenadas para a localização do incêndio foram repassadas também pela moradora Chiara Tosi, no último dia 22. No mesmo dia, outra moradora entrou em contato com o Corpo de Bombeiros pelo Facebook, informando que a Defesa Civil de Roraima havia feito um sobrevoo, identificando que o incêndio estava acontecendo em território do Amazonas. Logo depois, o Corpo de Bombeiros entrou em ação.

Fonte:Acritica
NÁFERSON CRUZ