Últimos
Capa » Notícias » Política » Federal » Preço abusivo nas passagens aéreas é um desrespeito com o consumidor, aponta Marcos Rogério
Preço abusivo nas passagens aéreas é um desrespeito com o consumidor, aponta Marcos Rogério
Deputado M

Preço abusivo nas passagens aéreas é um desrespeito com o consumidor, aponta Marcos Rogério

Em pronunciamento no plenário da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (21/09), o deputado federal Marcos Rogério (DEM-RO) criticou a alta sistemática no preço das passagens aéreas, em especial nos voos regionais.
Segundo apontou o parlamentar, a alta dos preços é abusiva, e configura um desrespeito ao consumidor. “Passagens que custavam R$ 400 agora custam R$ 1.800. E um detalhe: disseram que com a cobrança pela bagagem o preço das passagens iria cair. Mas ocorreu o contrário, o preço subiu, o que é um abuso, uma afronta ao usuário do transporte aéreo brasileiro”, disse.
Em maio deste ano, as companhias aéreas receberam autorização para cobranças adicionais de bagagens despachadas. A norma, que consta da Resolução nº 400, de 13 de dezembro de 2016, vale para voos domésticos e internacionais. À época, as companhias aéreas justificaram que a cobrança adicional acarretaria no barateamento no preço das passagens aéreas.
O parlamentar também criticou as companhias aéreas que adotam horários pouco usuais, em especial a companhia aérea Azul, que opera nos municípios no estado de Rondônia.
“Quero fazer esse registro lamentando, também, o comportamento da empresa Azul com o município de Ji-Paraná, no estado de Rondônia. Eles estão impondo voos em horários ruins, que dificultam as conexões. Só pra terem ideia, eles anunciaram para o mês de outubro um voo que vai sair 17h10 da minha cidade (Ji-Paraná), pra chegar em Brasília às 10h do dia seguinte. Quem usa o transporte aéreo utiliza não apenas para o conforto, mas, sobretudo, pela agilidade e rapidez do transporte aéreo”, apontou.

A Azul é a única companhia que opera no aeroporto de Ji-Paraná.

http://drive.google.com/file/d/0BweAMCNKJhX3bEwxVDdlcG0yU3M/view

Fonte: Assessoria