Últimos
Capa » Notícias » Cidadania » Adelino Follador representa ALE em reunião sobre Ciperon no MPE
Adelino Follador representa ALE em reunião sobre Ciperon no MPE
Adelino Follador representa ALE em reunião sobre Ciperon no MPE.

Adelino Follador representa ALE em reunião sobre Ciperon no MPE

Segundo o Ministério Público mais de 2.000 alunos foram lesados em Rondônia
A convite do Ministério Público do Estado (MPE), representando a Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE), o deputado Adelino Follador (DEM) participou na manhã de sexta-feira (24), da reunião nas dependências do MPE em Porto Velho, juntamente com Welinton Baxto, coordenador geral de supervisão da Educação Superior do Ministério da Educação e Cultura (MEC), promotores do MPE e MPF, advogados de alunos, Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Conselho Estadual de Educação, prefeito de Nova Mamoré, professor Claudionor (PDT) e estudantes da Ciperon, para discutir sobre a Operação Apate, desencadeada pelo Gaeco, que resultou em prisões, buscas e apreensões na instituição de ensino Ciperon e Norte Educacional.
Os promotores explicaram como sucedeu toda investigação, operação e a rede de problemas criados com as irregularidades.
De acordo o representante do MEC, as legislações só amparam alunos de Instituições autorizadas, a empresa acusada não tem nenhum registro no Ministério da Educação. Na prática, ela nunca existiu, neutralizando as esperanças de convalidação dos diplomas e aproveitamento das disciplinas.
O prefeito de Nova Mamoré demonstrou sua preocupação com a gestão do município, uma vez que cerca de 50% dos funcionários municipais com diploma superior e cerca de 50 professores, inclusive da zona Rural, passaram no concurso e assumiram o emprego público com diplomas entregues por esta instituição.
Adelino falou de sua preocupação e o caos social que está sendo criado. “Minha maior preocupação é em relação aos cerca de 2.000 estudantes e ex-estudantes, que são as vítimas, infelizmente, após ouvir as autoridades, as notícias não são como esperávamos. Imagine as centenas de pessoas que estudaram quatro anos, se prepararam para o concurso, passaram, comemoram, foram convocados, tudo dentro de um planejamento envolvendo a família, e de repente não possui diploma superior e, ainda fica desempregado. Isto é desesperador, mais infelizmente é a realidade”, disse o parlamentar.
O MP estadual e o MP federal entrarão com ação conjunta para que os alunos sejam indenizados. Já foi constatado que a Ciperon/Norte Educacional não possui patrimônio que possa ser tomado para a reparação, porém as instituições que colaboram com a prática delituosa devem ser responsabilizadas e condenadas a indenizar as vítimas.
Ainda segundo Follador, ficou uma dúvida a ser esclarecida. “Como uma instituição atuou tanto tempo no mercado, cerca de 10 anos, em vários municípios do Estado, inclusive Mato Grosso e Acre, e não foi fiscalizada nem impedida de atuar ilegalmente? Vamos levar essas discussões para a Comissão de Educação na Assembleia Legislativa. Vamos apurar o que aconteceu, para que os órgãos fiscalizadores fossem tão omissos”, concluiu Adelino.

Fonte: Assessoria