Início » Notícias » MUSEU – Associação dos Ferroviários repudia furtos das peças do patrimônio tombado da Madeira Mamoré

MUSEU – Associação dos Ferroviários repudia furtos das peças do patrimônio tombado da Madeira Mamoré

A bagunça é tamanha em Porto Velho (RO), que nos últimos 10 anos os moradores daqui nunca viram uma ação de vergonha dos poderes executivos da Capital e do Estado em prol da construção paisagística, artística e arquitetônica do complexo da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Sai denúncia e entra denúncia nos órgãos fiscalizadores, mas a coisa pública não anda a favor da cultura de raiz.

Há décadas o povo de Porto Velho não sabe o que é um Museu de verdade. Há décadas que o patrimônio histórico vem servindo de palco de campanha publicitária eleitoral fajuta. Há décadas que o todo o conjunto arquitetônico da Estrada de Ferro Madeira Mamoré é larapiado por boêmios usuários de drogas recreativos.
Entre poetas e poetizas que tecem seus comentários sobre a imponente Ferrovia do Diabo, eis que surgem os Mortos-Vivos loucos por Cobre, ou seja, os viciados em Mela e Crack que por fim estão furtando as peças históricas do fundo do Pátio da Estrada de Ferro há mais de duas semanas.

No entanto, as autoridades públicas letradas em história desta terra devem realizar ações enérgicas para a proteção do patrimônio tombado. A Associação dos Ferroviários repudia as ações de furtos das peças da Estrada de Ferro e exige um plano do governo para acabar com esse delito.
Na manhã desta terça-feira (24) a Associação dos Ferroviários, fez tornar público a sua reprovação quanto os furtos das peças e o vice-presidente George Telles de Menezes lembrou as autoridades que existe um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) entre DER (Departamento de Estradas e Rodagens) com a participação efetiva do Ministério Público do Estado de Rondônia.
Segundo a Associação dos Ferroviários, com a remoção de uma das Locomotivas do Pátio da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, o Departamento de Estradas e Rodagens ficou com a incumbência obrigatória de armazenar e preservar legalmente as demais peças do sítio arqueológico da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. No entanto, a retirada ilegal de uma das Locomotivas não foi o bastante para a ingerência do Poder Executivo Estadual ganhar destaque negativo. Na atualidade o pátio está abandonado e os furtos continuam a todo vapor. Contudo, fica o alerta as autoridades do Estado de Rondônia, pois a parte cultural de nossa cidade está em decadência.

mapping.com.br – Maique Pinto

Veja também

Deputado pede proibição do nepotismo e transparência nas entidades sindicais