Início » Notícias » Adolescente é estuprada e morta após voltar de escola em Cristalina
Amanda Silva, 15 anos, era vizinha do assassino, um adolescente de 17 anos (foto: Arquivo Pessoal)

Adolescente é estuprada e morta após voltar de escola em Cristalina

A menina de 15 anos foi atacada quando voltava da escola. Ao chegar em casa, um vizinho dela, de 17 anos, a agarrou e cometeu os crimes

Uma adolescente de 15 anos viveu momentos de terror ao ser estuprada por um vizinho, de 17 anos. Após cometer o ato bárbaro, o rapaz matou a garota a facadas. O caso ocorreu na sexta-feira (2/8), no município goiano de Cristalina, distante 132km de Brasília. O menor infrator foi detido no dia do crime, antes que cometesse suicídio, conforme planejava.
A vítima chegava em casa da escola estadual, quando foi atacada. Ela morava na residência alugada, de estrutura simples e ainda no concreto, com o pai cadeirante. Antes que pudesse abrir o portão, foi segurada pelo vizinho, que mora no mesmo lote da família há três meses. O homem a aguardava sentado em uma cadeira de balanço branca.
Segundo informações da Polícia Civil, o jovem arrastou a garota até a casa onde ele mora. Os demais vizinhos do mesmo lote só desconfiaram do que ocorria porque, por alguns segundos, a menina conseguiu gritar por ajuda. Mesmo assim, a vítima não conseguiu ser salva, pois o menor havia colocado a geladeira na porta de entrada da residência.
Enquanto um vizinho tentava arrombar a porta, o pai da garota gritava por ajuda de outras pessoas, que acionaram a polícia. A menina foi estuprada pelo adolescente, que em seguida, desferiu diversas facadas contra a vítima. Só após o homem cometer os crimes foi que uma testemunha conseguiu entrar na residência. Para deter o criminoso, foi preciso que a polícia entrasse em luta corporal com ele.
O adolescente conseguiu se desvencilhar e correr. No entanto, foi detido por outras pessoas e apreendido em flagrante. Ele alegou estar possuído por uma “entidade”, que o havia induzido a cometer a barbárie. De acordo com apuração policial, o jovem havia construído uma espécie de altar para a menina: em um canto da casa havia um retrato dela ainda criança, velas, R$ 5 em espécie, um copo e uma garrafa de cachaça, além de alguns cigarros.
O corpo da adolescente foi deixado nu, ao lado do ritual. O assassino deixou uma carta de suicídio, o que levanta a suspeita da polícia de que todo o crime foi planejado. No texto, que ainda é analisado pela perícia, o adolescente deixa a senha do celular e indica: “Abre meu celular e vê os vídeos, fotos e conversas de WhatsApp com minha amada”.
De acordo com testemunhas, o jovem tentava manter um relacionamento com a garota, que se negava. O garoto teria dito a policiais militares que se a jovem tivesse aceitado namorar com ele, não a teria matado.

Fonte: Sarah Peres

Veja também

15 de Outubro dia do Professor – Todo docente deveria ser homenageado com um Oscar e um Prêmio Nobel

Existe profissão mais importante do que a de Professor? A resposta é Não, então somos …