Início » Notícias » Cidadania » Deputados Alex Silva, Dr. Neidson, Cássia Muleta visita Centro Humanitário de Apoio à Mulher de Roraima
Deputado Alex Silva visita Centro Humanitário de Apoio à Mulher de Roraima

Deputados Alex Silva, Dr. Neidson, Cássia Muleta visita Centro Humanitário de Apoio à Mulher de Roraima

Centro proporcionar um atendimento mais humanizado às mulheres vítimas de violência


O Presidente da Comissão de Defesa da Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (CDCAMI) de Rondônia, deputado Alex Silva (Republicanos), realizou uma visita ao Estado de Roraima, nesta quinta-feira (24), juntamente com os membros da comissão, a deputada Cássia Muleta (Podemos) e deputado Dr. Neidson (PMN) com o objetivo de conhecer o Centro Humanitário de Apoio à Mulher (CHAME).


Na ocasião, a comissão foi recepcionado pelo presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, o deputado Jalcer Renier(SD) e pelas deputadas Lenir Rodrigues (PPS) e Ione Pedroso (SD).
O CHAME funciona em Roraima desde 2009 e proporciona um atendimento mais humanizado às mulheres vítimas de violência, com acompanhamento técnico profissional nas áreas psicológica, jurídica e social e tornou-se uma forte ferramenta de aproximação da Assembleia Legislativa com a sociedade em geral.
Além disso, Assembleia Legislativa de Roraima desenvolve vários projetos que atende diversas crianças carentes, como o “Natal Solidário” realizado pelos assessores nas noites de natal e que beneficia mais de 10 mil famílias. O parlamentar falou da importância de conhecer a sede do CHAME para a implantação do projeto em Rondônia, que atuará no combate à discriminação, desigualdade e violência contra mulheres.
“Nossa visita ao Estado de Roraima foi muito produtiva, tivemos uma recepção formidável e pude conhecer o sistema de fluxo de atendimento do Centro Humanitário de Apoio à Mulher e assim podemos levar e explorar os mesmos mecanismos utilizados aqui para ajudar as mulheres do nosso Estado, pois percebi que o CHAME não se trata apenas de mulheres vítimas de violência, mas também da defesa de seus direitos”, comentou o deputado.
O acolhimento às mulheres vítimas de violência, inicia-se na recepção e em seguida são encaminhadas aos profissionais multidisciplinar e assim receberem o serviço e o tratamento necessário.
Fotos: Assessoria

Veja também

País tem 201 mortes por covid-19 e 5.717 casos confirmados

Casos confirmados chegam a 5.717, segundo boletim O número de mortes em razão do novo …