Início » Notícias » Educação e Cultura » Lideranças indígenas e extrativistas pensam soluções para problemáticas de comunidades tradicionais de Rondônia

Lideranças indígenas e extrativistas pensam soluções para problemáticas de comunidades tradicionais de Rondônia


Projeto é o assunto do momento, diz Francilene de Souza Costa, jovem moradora da Reserva Extrativista do Rio Cautário, em Costa Marques. Segundo ela, é um assunto recorrente dentro da comunidade, especialmente relacionado a questão de desenvolvimento sustentável, entretanto pouco sabia sobre como estruturar um. Foi pensando na necessidade de Francilene e das comunidades tradicionais que o projeto Pacto da Floresta realizou a Oficina de Elaboração de Pequenos Projetos para e Comunidades Tradicionais de Rondônia, com a participação de diretores e diretoras de oito associações indígenas e extrativistas. O evento teve duração de três dias e contou com a consultoria da engenheira agrônoma Francivane Fernandes, coordenadora de projetos da Conservação Internacional (CI).

O curso iniciou com um breve alinhamento de diretrizes a serem levadas em consideração para a construção de propostas para a segunda chamada de projetos do Programa Casa Socioambiental Amazônia do Fundo Casa, partindo para a identificação e priorização dos problemas das comunidades, estratégias e gestão do projeto.

O projeto

O Pacto da Floresta é executado pelo Pactos das Águas e recebe recursos financeiros do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) através o Fundo Amazônia, e visa apoiar a consolidação da cadeia produtiva da castanha-do-brasil e o fortalecimento das atividades produtivas relacionadas ao açaí, farinha de mandioca e borracha natural, além de compatibilizar a conservação da natureza
com o uso sustentável dos seus recursos naturais nas Terras Indígenas (TIs) Igarapé Lourdes, Rio Branco e a Reserva Extrativista (RESEX) Estadual do Rio Cautário e as RESEXs Federais do Rio Cautário e Rio Ouro Preto.
Ele é estruturado em seis componentes básicos: estruturação da cadeia produtiva da castanha-do-brasil; difusão de boas práticas para melhorar a qualidade produtiva; fortalecimento das organizações comunitárias para melhor gestão de negócios da floresta; agregação de valor aos produtos da floresta com ênfase a castanha-do-brasil; alternativas de renda complementares a castanha-do-brasil; articulação institucional.

Assessoria de Comunicação
Projeto Pacto da Floresta

Veja também

Bolsonaro cumprimenta apoiadores em ato em Brasília

Presidente estava acompanhado do ministro do GSI, Augusto Heleno Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro voltaram …